10/02/2010

O PULO!


Pros que acham que apostatei.
Sim! Apostatei sim!
Esfriei!
Desviei-me!
Caí!
Chame como quiser, não faz diferença...
Apostatei da fé evangélica.
Esfriei do incêndio na abadia.
Desviei do caminho excelente do chamado eclesiástico.
Caí de cara no chão frio da hipocrisia.
Não posso mais voltar, blasfemei contra a religião, profanei o templo da santa ignorância dos crentes.
Cuspi no prato que comi. Chutei a santa dos cristãos.
Portanto renuncio a tudo. Renuncio a todo voto, pacto ou aliança feito em nome de homens, instituições ou campanhas. Tudo foi reflexo do que não creio mais.
Abandono toda doutrina, tradição ou costume que me afaste do Deus Vivo, Único e Suficiente.
Desfaço todo laço de liturgias ou devocionais que me impuseram como acesso a Deus.
Anulo toda barganha que fiz com o Deus de toda Graça por meio de dízimos, ofertas, campanhas de oração, jejuns e votos.
Desisto de toda pré-tenção de ser alguma coisa pra igreja. Assim me lanço, pela fé, no desejo de ser pra Deus, por Deus e por mais ninguém!
Tudo isso faço, porque hoje, a Graça dEle me basta, afinal o seu poder ser aperfeiçoa na minha insuficiência.
Tudo isso faço porque hoje, não sendo mais da igreja, me sinto muito mais da Igreja.
Tudo isso faço porque o pecado mora ao lado, mas não dou mais ibope pra ele.
Tudo isso faço, porque me perdi no caminho e agora sou do Caminho que me libertou com o encontro com a Verdade e que só tem resultado em Vida, Vida e Vida!
Naquele que desconsidera o tempo da ignorância...

texto publicado em 31/05/2005 no
http://caiofabio.com/2009/conteudo.asp?codigo=01746
Acréscimo relevante...

Escrevi isso há cinco anos atrás e é incrivel como olho com carinho essas minhas declarações... Não pelo que causaram nas pessoas, mas no que elas significaram pra mim á época. Muito do que disse acima foi com grande temor de estar fazendo algo que iria me arrepender depois.
Mas o tempo foi mostrando quanta saúde trouxe pra minha alma me desvincular daquele envolvimento com a instituição.
Viver por fé, sem trocas, foi como saltar de uma colina sem saber o que havia lá embaixo e nem que altura tinha. Saltar só conduzido por uma voz dizendo: Pula! Eu sou contigo.


Hoje, em outra cidade, casado, com dois filhos... já tomei umas porradas da vida e de porrada em porrada sempre olho pro alto e pergunto: Senhor, por quem me desamparaste?
Mas a verdade é que eu me afasto, não o meu Deus se afasta de mim. E enxergo providência, proteção e direção das coisas mais simples até as maiores e mais complexas

Continuo, como há cinco anos atrás, acreditando que pra minha alma assim foi melhor, não que sejo o melhor pra todo mundo... mas penso que a igreja hoje tem pouco pra oferecer da simplicidade do Evangelho.
Limaxxx

3 comentários:

  1. observe td,retende o q é bom...continua valendo. Acho q até o fim do caminho.


    \o/

    ResponderExcluir
  2. saudade de ler suas postagens meu Rei!
    te amo muito.

    ResponderExcluir